Vendas estão mais aquecidas na Região Metropolitana de Belo Horizonte

 Foram vendidos 210 apartamentos nas cidades de Belo Horizonte (MG) e Nova Lima (MG) em setembro, o que representou um crescimento expressivo (165,8%) em relação ao mês de agosto/17, quando foram comercializadas 79 unidades. As vendas mais expressivas no mês foram observadas na região da Pampulha ( 87 unidades) e na região Centro-Sul (85 unidades), de acordo com os dados do Censo Imobiliário realizado pela Bureau de Inteligência Corporativa (Brain) para o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG).

Segundo o estudo, foram comercializados em setembro 76 unidades classificadas como padrão alto (com valores de R$700 mil a R$1 milhão) e 61 unidades no padrão econômico (unidades com valores até R$215 mil). No padrão médio (valores entre R$400 mil e R$700 mil) foram vendidos 48 apartamentos neste mês.

Os lançamentos totalizaram 137 unidades residenciais, sendo que 121 unidades estavam localizadas na região Centro Sul e 16 unidades na região Oeste. Destaca-se que em setembro as vendas foram superiores aos lançamentos, o que provocou uma nova redução no estoque de novas unidades disponíveis para comercialização. Enquanto em agosto o estoque de novos apartamentos disponíveis para venda em Belo Horizonte e Nova Lima era de 3.966 unidades, em setembro passou a ser 3.893 unidades, ou seja, redução de 1,8% .

Em função do crescimento das vendas e da redução dos estoques, o preço médio dos apartamentos voltou a registrar alta: 1,0% em setembro. Assim, enquanto em agosto o preço médio do m² privativo nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima era de R$7.865, em setembro foi  para R$7.942. Considerando que, neste mês, a inflação oficial do País, medida pelo IPCA/IBGE, foi de 0,16%, o preço médio dos imóveis residenciais nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima apresentou aumento real de 0,84%.

Janeiro a setembro/2017: De janeiro a setembro de 2017 foram comercializados 1.470 apartamentos nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima enquanto, neste mesmo período, os lançamentos totalizaram apenas 560 unidades. Portanto, as vendas foram muito superiores aos lançamentos neste ano, o que tem permitido uma redução do estoque de novas unidades disponíveis para comercialização. Enquanto em janeiro/2017 o estoque de apartamentos novos disponíveis para a venda correspondia a 4.471 unidades, em setembro esse número foi reduzido para 3.893 unidades. Por outro lado, os preços dos apartamentos tem registrado aumento. De janeiro a setembro/2017 o preço médio do m² da área privativa nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima apresentou incremento de 4,02% enquanto, neste mesmo período, o IPCA/IBGE aumentou 1,78%.

O vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, José Francisco Couto de Araújo Cançado, acredita que as atividades do mercado imobiliário devem ganhar um impulso nos próximos meses ao considerar o baixo volume de novas unidades residenciais disponíveis para comercialização.  “Já é consenso que a economia nacional está  em processo gradual de recuperação de suas atividades. A inflação sob controle, as taxas de juros no menor patamar dos últimos quatro anos e  o saldo positivo na geração de vagas com carteira assinada são alguns dos elementos que indicam que o pior realmente ficou para trás. Neste cenário e considerando a redução do estoque de novas unidades disponíveis para venda, os lançamentos podem voltar a acontecer. Entretanto, José Francisco salienta que para isso é importante manter a solidez do processo de recuperação da economia. “Existe a necessidade do País seguir com sua agenda de reformas o que certamente contribuirá para o processo de ajuste estrutural das contas públicas e fortalecerá o crescimento nacional”, finaliza.

Deixe sua opinião