Projeto Arquitetônico Sustentável

Compartilhe:

Por Adriane Savi – Arquiteta da Tellus Arquitetura / Colunista 

 A demanda por uma construção Sustentável, surge a partir dos anos 70, com a crise do petróleo, mas esse assunto já abordamos em outro texto. Entretanto para se ter uma construção Sustentável é necessário pensar em um projeto arquitetônico sustentável.

A Sustentabilidade remete a multidisciplinaridade, a ação conjunta de diferentes agentes de diferentes áreas para um mesmo objetivo. O projeto de uma construção Sustentável não pode ser diferente.

 

Desta forma uma arquitetura sustentável deve envolver todos os agentes desde a concepção do projeto. Ao contrário de um projeto convencional, onde o Arquiteto faz o projeto, e repassa para as demais equipes fazerem seus projetos, no projeto sustentável, todos os projetistas envolvem-se desde a primeira etapa, ou seja, a discussão dos projetos elétrico, hidráulico, acústico, ar condicionado, estrutural, etc., são discutidos juntamente com o projeto arquitetônico, e juntamente com o construtor da obra.

 Ao invés de cada agente envolvido no projeto trabalhar isoladamente, todos deverão estar envolvidos em todas as etapas, e desde a concepção do projeto, até a execução da obra. Com essa ação o projeto torna-se mais eficiente, e muito mais compatível, garantindo qualidade da construção e redução o desperdício da obra.

 Para iniciar a elaboração de um projeto Sustentável deve ser respondida algumas questões iniciais que auxiliaram a compor o escopo do projeto Arquitetônico: Qual o tipo de projeto? Qual o tamanho e a escada do projeto? O projeto será inserido em uma área urbana consolidada, em uma área aberta, ou área rural? Quais as restrições construtivas? Quais as condicionantes geográficas? Qual o impacto que esta obra causará no entorno? Qual a capacidade/intenção de investimento do cliente? Qual a infraestrutura urbana existente no local? Quais as legislações incidentes sobre esse terreno? Quais as peculiaridades deste projeto?

 Com essas respostas deve-se avaliar o sítio onde a construção será inserida, deve-se observar: topografia, orientação solar, carta bioclimática, infraestrutura urbana, ventos predominantes, qualidade do ar, índices pluviométricos, ruídos predominantes, vibrações externas, vegetação e cursos d’água existentes, materiais e tecnologias disponíveis próximos ao sítio e fontes de radiação e contaminação.

Com a análise do entorno concluída inicia-se a concepção do projeto, que será norteada pelas informações levantadas. E nesse momento entra o Arquiteto, os projetistas e o construtor. Essa concepção é composta dos primeiros estudos volumétricos da edificação; primeiras propostas de sistemas construtivos e materiais, tecnologias sustentáveis que serão adotadas e com isso o estudo de desempenho térmico, acústico da edificação.

Essas definições fazem parte de um ciclo, elaboram-se as propostas, avalia-se a eficiência das mesmas, adéqua-se o projeto a melhor solução, até que por fim todos os projetos estejam compatibilizados de forma a garantir a melhor eficiência em função da demanda dos clientes do espaço e com melhor desempenho.

Por fim finaliza-se o projeto executivo Arquitetônico, os projetos complementares e os detalhamentos, para então dar inicio a obra, onde todos os envolvidos deverão acompanhar a execução de suas etapas. Os projetistas tem ainda a função de elaborar os manuais de uso e operação da edificação, para garantir que aqueles que irão utilizar a edificação façam todos os procedimentos necessários para o melhor funcionamento da edificação.

 

 Abaixo, a imagem ilustra essa contraposição entre um projeto convencional e um projeto sustentável. O projeto convencional é linear, já no projeto sustentável as etapas acontecem em paralelo e integradas.

Jornal Folha Condomínios
Author: Jornal Folha Condomínios

Jornal Folha Condomínios - Um jornal focado nos condôminos e profissionais que atuam em condomínios.


Compartilhe:

Jornal Folha Condomínios

Jornal Folha Condomínios - Um jornal focado nos condôminos e profissionais que atuam em condomínios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *