O MUSEU VIRTUAL DO SÍNDICO PROFISSIONAL

Síndico externo não é tão recente. A profissão tem história e você irá conhecer 

“O síndico não mora no condomínio? Mas, como ele vai cuidar do prédio?”. Esta pergunta não é tão incomum em muitas eleições de síndicos que conta com a presença dos síndicos profissionais na seletiva.

Mas, a contratação de síndico externo não é tão recente. Na lei de condomínio de 1964 já estava previsto a possibilidade de um pessoa externa ser o síndico no condomínio. Foi com a código civil e a chegada dos condomínios clubes, com suas imensas áreas de lazer que esta atividade se tornou cada vez mais rotineira, isso nos anos de 2002 e 2003. Mas, mesmo assim, ainda é preciso falar e muito o que´e o síndico profissional.

Nosso leitor Síndico Profissional Rafael Bernardes quem sugeriu a série

O síndico  profissional  Rafael Bernardes da Patrimonius –  Empresa de  Sindicatura de São Paulo é gestor de 6 condomínios, sendo 5 clube e 1 torre individual na Vila Madalena. Para ele é importantíssimo resgatar a memória da profissão. Aliás, foi ele quem sugeriu a série para o Folha Condomínios. Rafael afirma que é necessário produzir este conteúdo mostrando que a profissão não é passageira. “Não é uma tendência, já existe há décadas. Antes era uma necessidade “tampão” hoje é uma necessidade real para uma gestão dos condomínios. Antigamente a maioria dos condomínios eram de no máximo 1 ou no máximo 2 torres, hoje os condomínios clubes tem receita de aproximadamente, muitas vezes R$ 300 mil /mês precisam de uma gestão profissional”, destaca.

AGUARDE A SÉRIE ESPECIAL

O síndico nos sugeriu entrevistar o primeiro de nossos grandes precursores. Temos em mãos a ata de 1989.

Se você tem uma história assim a contar e contribuir com o mercado de trabalho de síndico profissional envia  a história e as comprovações para nossa equipe de jornalismo para apuração. contato@jornafolhacondominios.com.br

A sua história poderá ser a próxima a ser contada para todo Brasil.

 

Deixe sua opinião